II COMERTEC em debate na Unifap

II COMERTEC: Comunicação, Mercado e Tecnologia em debate na Universidade Federal do Amapá

Da Redação – 15.06.2018

Mídias alternativas e novas práticas jornalísticas, Tecnologia e convergência, Análise de mídia, gestão e estratégias comunicacionais formatam as linhas de pesquisa desenvolvidas durante o II Comertec Jr, que esse ano traz como foco central o tema: “o Desafio da Comunicação em ano Eleitoral”.

Realizado nos dias 14, 15 e 16 de junho de 2018, pelo Grupo de Pesquisas Comertec, que tem como integrantes parte do colegiado do curso de jornalismo da Universidade Federal do Amapá – Unifap, o encontro reúne a produção de 21 trabalhos acadêmicos de discentes (conteúdo que futuramente será publicado em formato de e-book) e propõe a ampliação do debate a partir de atividades como oficinas e apresentações de painéis.

A abertura do evento aconteceu na noite da última quarta-feira (14), e registrou a participação de profissionais da área em palestras e mesa redonda. A nossa diretora, jornalista Cíntia Souza foi uma das convidadas para compor a mesa e representar o universo Crível diante da dinâmica das agências de comunicação em período eleitoral no Amapá.

A partir de reflexões sobre as práticas do jornalista, seja realizando cobertura para imprensa ou gerando conteúdo para as campanhas, a diretora compartilhou experiências bem sucedidas e apontou aspectos que, segundo ela, merecem destaque, como a aplicação efetiva do código de ética da categoria, sobretudo em campanhas para plataformas digitais.

“O fato da prática jornalística ter sofrido adaptações para adequar-se às novas mídias não sugere que o código de ética da profissão seja abolido, pelo contrário. Remodelar técnicas de linguagens e fazer uso de novas ferramentas para construir narrativas, requer cada vez mais a aplicação dos princípios do código. Somente assim teremos diferencial entre o profissional jornalista e demais agentes que geram conteúdo para internet. Vide o efeito detonador das fake news nas redes sociais”, comentou a jornalista Cíntia Souza ao final do evento.

A publicitária Bruna Cereja, diretora da empresa Cereja Marketing, que também possui experiência em campanhas eleitorais, colaborou com a discussão e apontou como principal desafio a necessidade latente do profissional em acompanhar as atualizações, tanto em termos de tecnologia quanto da própria legislação, em torno das eleições.

“A cada novo ano eleitoral somos surpreendidos com novidades, seja no âmbito tecnológico ou legislativo. Trazer a realidade do mercado na área de comunicação para políticos aos estudantes é deixá-los mais preparados e cientes dos desafios que estão em constante mudança. Por isso, precisamos manter atualizações em tempo real”, complementou Bruna Cereja.

A mesa contou ainda com as contribuições do advogado Vladimir Belmino de Almeida, perito em processos eleitorais. Belmino acalorou o debate com análises sobre o cenário atual e as perspectivas para o desenvolvimento das pré-campanhas e da campanha eleitoral que terá início a partir do dia 16 de agosto.

Para a professora especialista, Elisângela Andrade, uma das idealizadoras do Comertec, declarou que a segunda edição do evento despertou a intenção do grupo de pesquisa em atingir um público cada vez maior, incluindo profissionais e sociedade.

“A abertura do evento atendeu às expectativas da organização e do público. Levou discussões atuais, como a inteligência artificial e os negócios na era digital, além de mostrar como as eleições movimentam o mercado da comunicação. Além disso, mostrou a maturidade do grupo Comertec, que tem crescido do ponto de vista da produção de conteúdo nas áreas da tecnologia, mercado e comunicação. Para o ano que vem, queremos firmar parcerias para fazer um evento maior , com um público de Comunicólogos da cidade”, declarou.

Acompanhe a programação –> https://www.comertec.org/

Deixe o seu comentário!